Diferentes tipos de águas e seus benefícios para a saúde

 

Cardápio diversificado


glas of pouring water with reflection1
Por definição as águas minerais são aquelas provenientes de fontes naturais ou de fontes artificialmente captadas que possuam composição química ou propriedades físicas ou físico-químicas diferentes das águas comuns, com características que lhes confiram uma ação medicamentosa.

Como são classificadas de acordo com a composição química, origem da fonte, temperatura e gases presentes, o que dá a cada tipo propriedades específicas, o consumidor tem à sua disposição um amplo cardápio de opções.

O problema é que muitos consumidores ainda não desenvolveram o hábito de consultar o rótulo para saber qual tipo de água estão comprando e sua composição, cuja especificação é obrigatória nas embalagens e, assim, tornar a escolha consciente para beneficiar-se dos seus poderes medicinais, de acordo com a sua necessidade e preferência.

Além de ser, de modo geral, um poderoso suplemento nutricional, há água mineral com as mais diversas propriedades terapêuticas. As fluoretadas, por exemplo, são indicadas para a saúde dos dentes e ossos. O seu consumo é recomendado pela Organização Mundial da Saúde para prevenir doenças da boca. As brometadas são sedativas e tranquilizantes, ajudam a combater a insônia e o nervosismo. A sulfatada atua como antinflamatório e antitóxico.

Tipos de águas

  • Magnesiana: contém ao menos 0,030 g de magnésio por litro. Ajuda no funcionamento do estômago e do intestino, pois é laxante. Quando ingerida em excesso pode provocar diarreia. O magnésio confere à água um sensação adstringente.
  • Sulfurosa: contém pelo menos 0,001 g de enxofre por litro. Indicada para problemas articulares, doenças na pele e, principalmente, para tratar problemas do aparelho respiratório. Ao ser inalada, melhora laringites, bronquites e sinusites.
  • Ferruginosa: possui ao menos 0,005 g de ferro por litro. O gosto “metálico” desaparece cerca de três dias depois de ela ter sido engarrafada, ou seja, para sentir o seu sabor deve-se ir direto à fonte. Ajuda a combater a anemia e estimula o apetite.
  • Alcalino-bicarbonatada: contém pelo menos 0,2 g de bicarbonato de sódio por litro. É digestiva e diurética, podendo ser usada como uma espécie de sal de frutas. Tem um gosto ligeiramente salgado.
  • Alcalino-terrosa cálcica: apresenta no mínimo 0,0048 g de cálcio por litro. Pode ser tomada como uma espécie de remédio, para ajudar a repor deficiências do nutriente no corpo. O cálcio deixa a água com um sabor levemente doce.
  • Oligomineral: tem baixo teor de sais minerais e vários minerais na composição, entre eles o flúor, o alumínio e o lítio. As fluoretadas, por exemplo, ajudam na prevenção das cáries e também na calcificação óssea, sendo usada como coadjuvante no tratamento da osteoporose.
  • Sulfatada: possui pelo menos 0,1 g de sulfato por litro (que pode estar combinado com sódio, potássio ou magnésio). Tem propriedades laxantes.
  • Radioativa: contém radônio, um material radioativo, mas não faz mal à saúde. É diurética e alivia cólicas estomacais e intestinais.
  • Carbogasosa ou carbônica: contém gás carbônico da fonte. É a água com gás natural. É tida como depurativa dos rins e ajuda a dissolver pedras nos rins. Tem sabor ligeiramente ácido

Fonte: Revista Água&Vida