Dicas para não “jacar” no Natal

Ceia de natal é um evento clássico que poderíamos até dizer que é liberado dar aquela fugidinha da dieta se não fosse por um detalhe: a balança não perdoa (nem no natal!). Se você “se comportou” o ano inteiro sem cometer muita estripulias, digamos que no jantar do dia 24 ou o almoço do dia 25/12 está permitido comer sem culpas, como se fosse um presente do Papai Noel.

Maaas, se você é do time dos que não foram bons meninos e mesmo aos 45” do segundo tempo não ganharam estrelinha no “projeto verão”, é preciso controlar a gula. Não é fácil mesmo, a gente sabe, mas que tal umas diquinhas de amigo pra ajudar?

1- Não vá para a ceia com muita fome

É comum ouvirmos gente dizendo que já que irá em uma festa a noite, vai controlar a alimentação durante o dia, ou mesmo deixar de comer. Saiba que isso é um grande erro, porque se você não se alimentar durante o dia, chegará na festa com bastante fome e vai querer comer tudo o que ver pela frente para saciar sua vontade de comer. O que nem de longe é recomendado pelos médicos e nutricionistas, que aconselham que as pessoas comam moderadamente de três em três horas.

2- Não jante em casa

Outro hábito comum para quem está focado na dieta é comer em casa para deixar de comer nas festas. Acontece que quando vemos toda aquela comida aparentemente apetitosa, é muito difícil resistir. Então a pessoa acaba fazendo duas refeições noturnas, uma em casa e outra na festa. Portanto, já que o objetivo é confraternizar, deixe para cear junto com seus familiares e amigos e lembre-se que comer moderadamente é o segredo para manter o peso ideal.

3- Foque no que você mais gosta

Pernil, chester, frango recheado, peru… São tantas opções que dá vontade de sair “experimentando” uma por uma, não é mesmo? Mas ao final, o que era apenas um pedacinho pode virar um pratão. Por isso a nossa dica é: olhe primeiro tudo que foi servido, eleja os que você já sabe que mais gosta, ou os que estão com a aparência melhor e sirva-se. Antes de repetir, avalie se você ainda está com fome ou é a gula falando mais alto.

Fonte: http://g1.globo.com/bemestar